Floresta e Ambiente
https://floram.org/journal/floram/article/doi/10.1590/2179-8087.041613
Floresta e Ambiente
Original Article Conservation of Nature

Reflorestamento e Recuperação de Atributos Químicos e Físicos do Solo

Reforestation and Recovery of Soil Chemical and Physical Attributes

Rocha, José Henrique Tertulino; Santos, Alessandro José Marques; Diogo, Fernanda Asti; Backes, Clarice; Melo, Augusto Gabriel Claro de; Borelli, Karla; Godinho, Tiago de Oliveira

Downloads: 0
Views: 287

Resumo

Objetivou-se com o trabalho avaliar a influência do reflorestamento com essências nativas da Floresta Estacional Semidecidual, plantio de eucalipto e pastagem nos atributos químicos e físicos do solo de áreas degradadas. Foram selecionadas cinco áreas na bacia hidrográfica do Rio Aguapeí, na cidade de Garça, SP, sendo dois reflorestamentos com essências nativas, com 4 e 9 anos, um plantio de eucalipto, uma área de pastagem e um fragmento florestal utilizado como referência. O fragmento florestal apresentou a menor soma de bases e os maiores teores de P, Corg e CTC. Ele também apresentou a menor resistência à penetração, maior diâmetro e estabilidade dos agregados. Os atributos químicos e físicos do solo das áreas reflorestadas diferiram dos observados no fragmento florestal, mostrando que o período de recuperação não foi suficiente para restaurar esses atributos. Porém o reflorestamento com 9 anos melhorou significativamente nesses atributos do solo, tendendo a aproximar-se aos do fragmento florestal.

Palavras-chave

indicadores ecológicos, qualidade do solo, restauração florestal.

Abstract

The objective with this study was to evaluate the influence of reforestation with native species from seasonal semideciduous forest, eucalyptus plantation, and pasture in the soil chemical and physical properties of degraded areas. Five sites were selected in the watershed of the Aguapeí River in the Garça city, Sao Paulo state: two reforestation areas with native species, with four and nine years old; a reforestation area with eucalyptus plantation, a pasture area, and a forest fragment used as control. The forest fragment presented the lowest exangeable bases and the highest levels of P, SOC and CEC; it also showed the lowest penetration resistance, and the largest diameter and aggregate stability. The chemical and physical soil attributes of the reforestation areas differed from those of the forest fragment (control), showing that the recovery period was not sufficient to restore these attributes. However, the 9-year-old reforestation area presented significant improvement of these soil attributes, tending to approach those of the control area.

Keywords

ecological indicators, soil quality, forest restoration.

References

Abreu SL, Reichert JM, Reinert DJ. Escarificação mecânica e biológica para a redução da compactação em argissolo franco-arenoso sob plantio direto. Revista Brasileira de Ciencia do Solo 2004; 28: 519-531.

Alleoni LRF, Camargo AO, Casagrande JC, Soares MR. Química dos solos altamente intemperizados. In: Melo VF, Alleoni LRF. Química e mineralogia do solo. Viçosa, MG: Sociedade Brasileira de Ciência do solo; 2009. vol. 2.

Alvares CA, Stape JL, Sentelhas PC, Gonçalves JLM, Sparovek G. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift 2014; 22(6): 711-728. http://dx.doi.org/10.1127/0941-2948/2013/0507.

Araújo R, Goedert WJ, Lacerda MPC. Qualidade de um solo sob diferentes usos e sob cerrado nativo. Revista Brasileira de Ciencia do Solo 2007; 31(5): 1099-1108. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832007000500025.

Bayer C, Mielniczuk J. Características químicas do solo afetadas por métodos de preparo e sistemas de cultura. Revista Brasileira de Ciência do Solo 1997; 21: 105-112.

Beutler AN, Silva MLN, Curi N, Ferreira MM, Cruz JC, Pereira IA Fo. Resistência à penetração e permeabilidade de latossolo vermelho distrófico típico sob sistemas de manejo na região dos cerrados. Revista Brasileira de Ciencia do Solo 2001; 25(1): 167-177. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832001000100018.

Blake GR, Hartge KH. Bulk density. In: KLUTE A, editor. Methods of soil analysis. 2. ed. Madison: ASA/SSSA; 1986. Agronomy Monography n. 9.

Brady NC, Weil RR. The Nature and properties of soils. 13. ed. New Jersey: Prentice Hall Upper Saddle River; 2002.

Brun EJ. Matéria orgânica do solo em plantios de Pinus taeda e P. elliottii em duas regiões do Rio Grande Do Sul. Santa Maria – RS [tese]. Santa Maria, RS: Universidade Federal de Santa Maria; 2008. 119 p.

Castro C Fo, Muzilli O, Podanosch AL. Estabilidade dos agregados e sua relação com o teor de carbono orgânico num latossolo roxo distrófico, em função de sistemas de plantio, rotações de culturas e métodos de preparo das amostras. Revista Brasileira de Ciencia do Solo 1998; 22(3): 527-538. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06831998000300019.

Cerri CC, Volkoff B, Eduardo BP. Efeito do desmatamento sobre a biomassa microbiana em latossolo amarelo da Amazônia. Revista Brasileira de Ciência do Solo 1985; 9(1): 1-4.

D’Andréa AF, Silva MLN, Curi N, Siqueira JO, Carneiro MAC. Atributos biológicos indicadores da qualidade do solo em sistemas de manejo na região do cerrado no sul do estado de Goiás. Revista Brasileira de Ciencia do Solo 2002; 26(4): 913-923. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832002000400008.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Manual de métodos de análise de solo. 2. ed. Rio de Janeiro: Embrapa Solos; 1997. 212 p.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. 2. ed. Rio de Janeiro: Embrapa; 2006. 306 p.

Godinho TO, Caldeira MVW, Rocha JHT, Caliman JP, Vieira M. Fertilidade do solo e nutrientes na serapilheira em fragmento de Floresta Estacional Semidecidual. Revista Ecologia e Nutrição Florestal 2013; 1: 97-109. http://dx.doi.org/10.13086/2316-980x.v01n03a01.

Islam KR, Weil RR. Land use effects on soil quality in a tropical forest ecosystem of Bangladesh. Agricultural Ecosysistem Enviroment 2000; 79(1): 9-16. http://dx.doi.org/10.1016/S0167-8809(99)00145-0.

Kiehl JE. Manual de edafologia. São Paulo: Ceres; 1979. 262 p.

Leite FP. Relações nutricionais e alterações de características químicas de solo da região do Vale do Rio Doce pelo cultivo do eucalipto [tese]. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa; 2001. 72 p.

Lima AMN, Silva IR, Neves JCL, Novais RF, Barros NF, Mendonça ES et al. Frações da matéria orgânica do solo após três décadas de cultivo de eucalipto no Vale do Rio Doce-MG. Revista Brasileira de Ciencia do Solo 2008; 32(3): 1053-1063. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832008000300014.

Melloni R, Melloni EGP, Alvarenga MIN, Vieira FBM. Avaliação da qualidade de solos sob diferentes coberturas florestais e de pastagem no sul de Minas Gerais. Revista Brasileira de Ciencia do Solo 2008; 32(6): 2461-2470. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832008000600023.

Melo ACG, Miranda DLC, Durigan G. Cobertura de copas como indicador de desenvolvimento estrutural de reflorestamentos de restauração de matas ciliares no médio vale do Paranapanema, SP, Brasil. Revista Árvore 2007; 31(2): 321-328. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622007000200015.

Meurer EJ. Fatores que influenciam o crescimento e desenvolvimento das plantas. In: NOVAES RF, ALVAREZ VH, BARROS NF, FONTES RLF, CANTARUTTI RB, NEVES JCL, editores. Fertilidade do solo. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo; 2007. p. 375-470.

Moreira A, Malavolta E. Dinâmica da matéria orgânica e da biomassa microbiana em solo submetido a diferentes sistemas de manejo na Amazônia ocidental. Pesquisa Agropecuaria Brasileira 2004; 39(11): 1103-1100. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2004001100008.

Oliveira GC, Dias MS Jr, Resck DVS, Curi N. Caracterização química e físico-hídrica de um latossolo vermelho após vinte anos de manejo e cultivo do solo. Revista Brasileira de Ciencia do Solo 2004; 28(2): 327-336. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832004000200011.

Prezotti LC. Manual de recomendação de calagem e adubação para o Estado do Espírito Santo. Vitória, ES: SEEA; 2007. 305 p.

Reichert JM, Reinert DJ, Braida JA. Qualidade dos solos e sustentabilidade de sistemas agrícolas. Ciência e Ambiente 2003; 27(2): 29-48.

Reinert DJ, Albuquerque JA, Reichert JM, Aita C, Andrada MMC. Limites críticos de densidade do solo para o crescimento de raízes de plantas de cobertura em argissolo vermelho. Revista Brasileira de Ciencia do Solo 2008; 32(5): 1805-1816. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832008000500002.

Rodrigues LA, Carvalho DA, Oliveira AT Fo, Curi N. Efeitos de solos e topografia sobre a distribuição de espécies arbóreas em um fragmento de floresta estacional semidecidual, em Luminárias, MG. Revista Árvore 2007; 31(1): 25-35. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622007000100004.

SAS Institute Inc. – SAS. SAS/STAT® 9.2 user’s guide. Cary, NC: SAS Institute Inc; 2008.

Silveira AM, Victoria RL, Ballester MV, Camargo PB, Martinelli LA, Piccolo MC. Simulação dos efeitos das mudanças do uso da terra na dinâmica de carbono no solo na bacia do Rio Piracicaba. Pesquisa Agropecuária Brasileira 2000; 35(2): 389-399. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2000000200018.

Souza ZM, Alves MC. Propriedades químicas de um latossolo vermelho distrófico de cerrado sob diferentes usos e manejos. Revista Brasileira de Ciencia do Solo 2003; 27(1): 133-139. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832003000100014.

Trumbore SE, Davidson EA, Barbosa de Camargo PB, Nepstad DC, Martinelli LA. Belowground cycling of carbon in forests and pastures of eastern Amazonia. Global Biogeochemical Cycles 1995; 9(4): 515-528. http://dx.doi.org/10.1029/95GB02148.

Van Raij B, Andrade JC, Cantarella H, Quaggio JA. Análise química para avaliação da fertilidade de solos tropicais. 4. ed. Campinas: Fundação Cargill; 2001. 343 p.

Vital ART, Guerrini IA, Franken WK, Fonseca RCB. Produção de serapilheira e ciclagem de nutrientes de uma floresta estacional semidecidual em zona ripária. Revista Árvore 2004; 28(6): 793-800. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622004000600004.

Walkley A, Black IA. An examination of the Degtjareff method for determining soil organic matter and a proposed modification of the chromic acid titration method. Soil Science 1934; 37(1): 29-38. http://dx.doi.org/10.1097/00010694-193401000-00003.
588e228ee710ab87018b4818 floram Articles
Links & Downloads

FLORAM

Share this page
Page Sections