Floresta e Ambiente
https://floram.org/article/doi/10.1590/2179-8087.791408
Floresta e Ambiente
Original Article Conservation of Nature

Influence of Edaphic Attributes on the Distribution of Tree Species in a Riparian Forest in Southern Brazil

Mônica Brucker Kelling; Maristela Machado Araujo; Daniele Guarienti Rorato

Downloads: 0
Views: 70

Abstract

ABSTRACT: This study aims at identifying the formation of clusters and to evaluate the influence of chemical attributes in the soil on the groups and species in a riparian forest fragment in Campos de Cima da Serra, Rio Grande do Sul (RS). Thirteen plots (10 × 20 m) were demarcated to carry out the study. Forest inventory data were employed in a multivariate analysis using the Twinspan method and the correlation between vegetation data and chemical characterization of the soil was carried out by Canonical Correspondence Analysis (CCA). Thirty-one species were sampled (DBH ≥ 30 cm) and two floristic groups were identified. The results indicated a structural difference between the two environments, likely due to the steeper slope and less influence of groundwater. Variables such as sulfur, calcium and organic matter were explanatory of the vegetation grouping known as riparian forest of hillside and aluminum, aluminum saturation and copper of riparian forest with flat topography.

Keywords

conservation, cluster analysis, canonical correspondence analysis, Mixed Ombrophilous Forest

References

Abreu CA, Lopes AS, Santos G. Micronutrientes. In: Novais RF, Alvarez VH, Barros NF, Fontes RLF, Cantarutti RB, Lima JC, editors. Fertilidade do solo. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo; 2007. p. 645-736.

Araujo MM, Chami L, Longhi SJ, Ávila AL, Brena DA. Análise de agrupamento em remanescente de Floresta Ombrófila Mista. Ciência Florestal 2010; 20(1): 1-18. 10.5902/198050981755

Avila AL, Araujo MM, Longhi SJ, Gasparin E. Agrupamentos florísticos na regeneração natural em remanescente de Floresta Ombrófila Mista, RS, Brasil. Scientia Forestalis 2011; 39(91): 331-342.

Backes P, Irgang B. Árvores do Sul: guia de identificação e interesse ecológico. 2nd ed. Porto Alegre: Paisagem do Sul; 2009.

Brancalion PHS, Rodrigues RR, Gandolfi S, Kageyama PY, Nave AG, Gandara FB et al. Legal instruments can enhance high-diversity tropical forest restoration. Revista Árvore 2010; 34(3): 455-70. 10.1590/S0100-67622010000300010

Brasil. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, (2012 maio 25) [cited 2017 jun. 20]. Available from: Available from: https://bit.ly/1zecCID

Chase MW. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society 2016; 181(1): 1-20. 10.1111/boj.12385

Felfili JM, Rezende RP. Conceitos e métodos em fitossociologia. Brasília, DF: UnB; 2003.

Gauch HG Jr. Multivariate analysis in community ecology. Cambridge: Cambridge University Press; 1982.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, cartographer. Mapa de biomas do Brasil [map]. Rio de Janeiro: IBGE; 2004 [cited 2019 maio 7]. Available from: Available from: https://bit.ly/2BAXYRs

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Manual técnico da vegetação brasileira: sistema fitogeográfico, inventário das formações florestais e campestres, técnicas e manejo de coleções botânicas, procedimentos para mapeamentos. 2nd ed. Rio de Janeiro: IBGE; 2012.

Jardim Botânico do Rio de Janeiro - JBRJ. Lista de espécies da flora do Brasil. Rio de Janeiro: Reflora; 2014.

Kageyama PY, Gandara FB. Recuperação de áreas ciliares. In: Rodrigues, RR, Leitão Filho, HF, editors. Matas ciliares: conservação e recuperação. 2nd ed. São Paulo: Edusp; 2009.

McCune B, Mefford MJ. PC-ORD for Windows: multivariate analysis of ecological data - version 3.12. Oregon: MJM Software Design, Gleneden Beach; 1997.

Moreno JA. Clima do Rio Grande do Sul. Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul 1961; 11: 49-73.

Péllico Neto S, Brena DA. Inventário florestal. Curitiba: Authors; 1997.

Pillar VP, Müller SC, Castilhos, ZMS, Jacques AVA, editors. Campos sulinos: conservação e uso sustentável da biodiversidade. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente; 2009.

Ribeiro SB, Longhi SJ, Brena DA, Nascimento ART. Diversidade e classificação da comunidade arbórea da Floresta Ombrófila Mista da Flona de São Francisco de Paula, RS. Ciência Florestal 2007; 17(2): 101-8. 10.5902/198050981941

Rodrigues LA, Carvalho DA, Oliveira Filho AT, Curi N. Efeitos de solos e topografia sobre a distribuição de espécies arbóreas em um fragmento de floresta estacional semidecidual, em Luminárias, MG. Revista Árvore 2007; 31(1): 25-35.

Rodrigues RR. Florestas ciliares? Uma discussão nomenclatural das formações ciliares. In: Rodrigues RR, Leitão Filho HF, editors. Matas ciliares: conservação e recuperação. 2nd ed. São Paulo: Edusp; 2009. p. 91-99.

Rorato DG, Araujo MM, Tabaldi LA, Tonetto TS, Rovedder APM, Dutra AF. Influência dos fatores ambientais no componente arbóreo de fragmentos florestais em São Francisco de Paula - Rio Grande do Sul. Cerne 2015; 21(4): 561-8.

Sociedade Brasileira de Ciência do Solo - SBCS. Manual de adubação e calagem para os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 10th ed. Porto Alegre: Comissão de Química e Fertilidade do Solo; 2004.

Streck EV, Kämpf N, Dalmolin RSD, Klamt E, Nascimento PC, Schneider P et al. Solos do Rio Grande do Sul. 2nd ed. Porto Alegre: Emater; 2008.

Tedesco MJ, Gianello C, Bissani CA, Bohnen H, Volkweiss SJ. Análises de solos, plantas e outros materiais. 2nd ed. Porto Alegre: UFRGS; 1995.
 

5d5fec770e88257443f3bb07 floram Articles
Links & Downloads

FLORAM

Share this page
Page Sections