Floresta e Ambiente
https://floram.org/article/doi/10.1590/2179-8087.071814
Floresta e Ambiente
Original Article Silviculture

Métodos de Superação da Dormência e Substratos para Germinação de Sementes de Tachigali vulgaris L.G. Silva & H. C. Lima

Methods of Breaking Dormancy and Germination Substrates for Tachigali vulgaris L.G. Silva & H.C. Lima

Abreu, Daniela Cleide Azevedo de; Porto, Keissy Garcia; Nogueira, Antonio Carlos

Downloads: 0
Views: 401

Resumo

O conhecimento das condições ideais como o método de superação da dormência e o substrato para que ocorra a germinação das sementes de espécies florestais é essencial para o sucesso no estabelecimento das plântulas. Este trabalho teve por objetivos definir o método adequado para a superação de dormência e avaliar o efeito de diferentes substratos na germinação de sementes de T. vulgaris. Foram testados os diferentes tratamentos pré-germinativos: testemunha; escarificação mecânica com lixa d’água; desponte do tegumento na região oposta ao hilo com auxílio de tesoura; imersão em água na temperatura de 80 °C por 24 horas e imersão das sementes em ácido sulfúrico durante 10 minutos. Após os tratamentos pré-germinativos, as sementes foram semeadas em substratos vermiculita, areia e papel mata-borrão e submetidas a 30 °C e luz contínua. O melhor tratamento foi o desponte do tegumento na região oposta ao hilo com tesoura e substrato vermiculita.

Palavras-chave

sementes florestais, análise física, dormência física

Abstract

The knowledge of how forest species plantules stablish successfully is essential to comprehend the conditions involving dormancy surpass and their ideal germination substrates. The present study aims to define the most efficient methods to surpass dormancy and to test different substrates that influence T. vulgaris germination. The pre-germination tests applied in this study, in addition to the control test, were: mechanic scarification (sandpaper number 100), scissor tegument cut (opposite to the hilum), 24 hour immersion in water (80 °C), and a ten minutes sulfuric acid immersion. After the pre-germinative treatments the seeds were sown in different substrates, such as: vermiculite, sand and filter paper, all of them submitted to constant light in a controlled temperature of 30 °C. The best result treatment was the scissor cut associated with vermiculite substrate.

Keywords

forest seeds, physical analysis, physical dormancy.

References

Abreu DCA, Nogueira AC, Medeiros ACS. Efeito do substrato e da temperatura na germinação de sementes de cataia (Drimys brasiliensis Miers. Winteraceae). Revista Brasileira de Sementes 2005; 27(1): 149-157. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222005000100019.

Alcalay N, Amaral DMI. Quebra de dormência em sementes de timbaúba (Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong.). Silvicultura em São Paulo 1982; 16A(1 Pt 2), 1149-1152. Edição Especial.

Alencar KMC, Laura VA, Rodrigues APDC, Resende RMS. Tratamento térmico para superação da dormência em sementes de Stylosanthes SW. (Fabaceae Papilionoideae). Revista Brasileira de Sementes 2009; 31(2): 164-170. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222009000200019.

Alves AU, Dornelas CSM, Bruno RLA, Andrade LA, Alves EU. Superação da dormência em sementes de Bauhinia divaricata L. Acta Botânica Brasílica 2004; 18(4): 871-879. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-33062004000400018.

Alves EU, Bruno RLA, Alves AU, Alves AU, Cardoso EA, Galindo EA et al. Germinação e biometria de frutos e sementes de Bauhinia divaricata L. (Leguminosae). Sitientibus Série Ciências Biológicas 2007; 7(3): 193-198.

Balbinot E, Lopes HM. Efeitos do condicionamento fisiológico e da secagem na germinação e no vigor de sementes de cenoura. Revista Brasileira de Sementes 2006; 28(1): 1-8.

Banzatto, DA.; Kronka, SN. Experimentação agrícola. 3. ed. Jaboticabal: FUNEP; 1995. 247 p.

Barbosa JG, Alvarenga EM, Dias DCFS, Vieira AN. Efeito da escarificação ácida e de diferentes temperaturas na qualidade fisiológica de sementes de Strelitzia reginae. Revista Brasileira de Sementes 2005; 27(1): 71-77. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222005000100009.

Bianchetti A. Produção e tecnologia de sementes de essências florestais. Curitiba: Embrapa, URPFCS; 1981. 22 p.

Borges EEL, Ribeiro JI Jr, Rezende ST, Perez SCJGA. Alterações fisiológicas em sementes de Tachigalia multijuga (Benth.) (mamoneira) relacionadas aos métodos de superação de dormência. Revista Árvore 2004; 28(3): 317-325. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622004000300001.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA. Regras para análise. Brasília: Mapa/ACS; 2009. 399 p.

Bruno RLA, Alves EU, Oliveira AP, Paula RC. Tratamentos pré-germinativos para superar a dormência de sementes de Mimosa caesalpiniaefolia Benth. Revista Brasileira de Sementes 2001; 23(2): 136-143. http://dx.doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v23n2p136-143.

Cardoso VJM. Dormência: estabelecimento do processo. In: Ferreira AG, Borguetti F, organizadores. Germinação: do básico ao aplicado. Porto Alegre: Artmed; 2004. p. 95-134.

Carvalho JEU, Figuerêdo FJC. Biometria e métodos para a superação da dormência de sementes de taxi-branco, Sclerolobium paniculataum Vogel. Belém: EMBRAPA, CPATU; 1991. 18 p. Boletim de Pesquisa n. 114.

Carvalho NM, Nakagawa J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 4. ed. Jaboticabal: FUNEP; 2000. 588 p.

Carvalho PER. Espécies florestais brasileiras: recomendações silviculturais, potencialidade e uso da madeira. Colombo: EMBRAPA, CNPF; Brasília: EMBRAPA, SPI; 1994. 640 p.

Chaves R, Kageyama PY. Determinação do início da dormência no desenvolvimento da semente de Delonix regia (Raf.): “Flamboyant”. Piracicaba: IPEF; 1980. p. 1-4. Circular Técnica n. 117.

Eira MTS, Freitas RWA, Mello CMC. Superação de dormência de sementes de Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong. - Leguminosae. Revista Brasileira de Sementes 1993; 15(2): 177-181. http://dx.doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v15n2p177-181.

Felfili JM, Hilgbert LF, Franco AC, Sousa-Silva JC, Resende AV, Nogueira MVP. Comportamento de plântulas de Sclerolobium paniculatum Vog. Var. rubiginosum (Tul.) Benth. sob diferentes níveis de sombreamento, em viveiro. Revista Brasileira de Botânica 1999; 22(2): 297-301. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-84041999000500011.

Fenner, M. Seed ecology. London: Chapman & Hall; 1993. 151 p. Outline Studies in Ecology Series.

Figliolia MB, Oliveira EC, Piña-Rodrigues FCM. Análise de sementes. In: Aguiar IB, Piña-Rodrigues FCM, Figliolia MB, coordenadores. Sementes florestais tropicais. Brasília: ABRATES; 1993. p. 137-174.

Fowler AJP, Bianchetti A. Dormência em sementes florestais. Colombo: Embrapa Florestas; 2000. 27 p. Documentos n. 40.

Frazão DAC, Figueirêdo FJC, Corrêa MPF, Oliveira RP, Popinigis F. Tamanho da semente de guaraná e sua influência na emergência e no vigor. Revista Brasileira de Sementes 1983; 5(1): 81-91. http://dx.doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v5n1p81-91.

Freitas JAC, Candido JF. Tratamento químico para abreviar a germinação de sementes de guapuruvú (Schyzolobium excelsum Vog.) e de mamoneira (Tachigalia multijuga Benth.). Revista Seiva 1972; 32(76): 1-10.

Garcia J, Duarte JB, Frasseto EG. Superação de dormência em sementes de sansão-do-campo (Mimosa caesalpiniaefolia L.). Pesquisa Agropecuária Tropical 2002; 32(1): 29-31.

Hermansen LA, Duryea ML, West SH, Malavasi MM. Pretreatments to overcome seed coat dormancy in Dimorphandra mollis. Seed Science and Technology 2000; 28(3): 581-595.

Jeller H, Perez SCJGA. Estudo da superação da dormência e da temperatura em sementes de Cassia excelsa Schrad. Revista Brasileira de Sementes 1999; 21(1): 32-40. http://dx.doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v21n1p32-40.

Krzyzanowski FC, Vieira RD, França JB No. Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES; 1999. 218 p.

Lima JD, Almeida CC, Dantas VAV, Silva BMS, Moraes WS. Efeito da temperatura e do substrato na germinação de sementes de Caesalpinia ferrea Mart. ex Tul. (Leguminosae, Caesalpinoideae). Revista Árvore 2006; 30(4): 513-518. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622006000400003.

Lopes JC, Dias PC, Macedo CMP. Tratamentos para acelerar a germinação e reduzir a deterioração de sementes de Ormosia nitida Vog. Revista Árvore 2006; 30(2): 171-177. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622006000200003.

Lorenzi H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 2. ed. Nova Odessa: Plantarum; 1998, 352 p.

Luz PB. Germinação e aspectos morfológicos de sementes de Archontophoenix cunninghamii H. Wendl. & Drude (Arecaceae) [tese]. Jaboticabal: Universidade Estadual Paulista; 2008. 52 p.

Marcos J Fo. Fisiologia de Sementes de Plantas Cultivadas. Piracicaba: FEALQ; 2005. 495 p.

Mayer AM. Poljakoff-Mayber, A. The germination of seeds. 4. ed. New York: Pergamon Press; 1989. 270 p.

Mendes AMS, Melo MGG, Santos IF. Características físicas e fisiológicas de sementes de Stryphnodendron microstachyum Poepp. & Endl. (LEGUMINOSAEMIMOSOIDEAE). In: Resumos do II Workshop da Rede CTPETRO [online]; 27-30 Nov 2006; Manaus. Manaus: Universidade do Estado do Amazonas; 2006 [citado em 2013 dez 2]. Disponível em: http://projetos.inpa.gov.br/ctpetro/workshop_site/Resumos_PT2/pdf/CARACTERISTICA_SEMENTE_ANGELA_REVISADO.pdf

Moussa H, Margolis HA, Dubé P-A, Odongo J. Factors affecting the germination of doum palm (Hyphaene thebaica Mart.) seeds from the semiarid of Niger, West Africa. Forest Ecology and Management 1998; 104(1-3): 27-41. http://dx.doi.org/10.1016/S0378-1127(97)00230-2.

Murdoch AJ, Ellis RH. Longevity, viability and dormancy. In: Fenner M. Seeds: the ecology of regeneration in plant communities. Wallingford: CAB International; 1993. p. 193-229.

Nascimento IL, Alves EU, Bruno RLA, Gonçalves EP, Colares PNQ, Medeiros MS. Superação da dormência em sementes de faveira (Parkia platycephala Benth.). Revista Árvore 2009; 33(1): 35-45. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622009000100005.

Nassif SML, Vieira IG, Fernades GD. Fatores externos (ambientais) que influenciam na germinação de sementes [online]. Piracicaba: ESALQ, USP; 1998. Informativo Sementes [citado em 16 fev. 2013]. Disponível em: http://www.ipef.br/sementes/

Perez SCJGA. Envoltórios. In: Ferreira AG, Borghetti F, organizadores. Germinação: do básico ao aplicado. Porto Alegre: Artmed; 2004. p. 125-134.

Popinigis F. Fisiologia da Semente. Brasília: AGIPLAN; 1985. 289 p.

Ribas LLF, Fossati LC, Nogueira AC. Superação de dormência de sementes de Mimosa bimucronata (DC.) O. Kuntze (maricá). Revista Brasileira de Sementes 1996; 18(1): 98-101. http://dx.doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v18n1p98-101.

Rodrigues APAC, Kohl MC, Pedrinho DR, Arias ERA, Favero S. Tratamentos para superar a dormência de sementes de Acacia mangium Willd. Acta Scientiarum: Agronomy 2008; 30(2): 279-283.

Santana DG, Ranal MA. Análise da germinação: um enfoque estatístico. Brasília: Universidade de Brasília; 2004. 248 p.

Santos MRA, Paiva R, Gomes GAC, Paiva PDO, Paiva LV. Estudos sobre superação de dormência em sementes de Smilax japecanga Grisebach. Ciência e Agrotecnologia 2003; 27(2): 319-324.

Silva KB, Alves EU, Bruno RLA, Gonçalves EP, Braz MSS, Viana JS. Quebra de dormência em sementes de Erythrina velutina Willd. Revista Brasileira de Biociências 2007; 5(2): 180-182.

Smirdele OJ, Mourão M Jr, Sousa RCP. Tratamentos pré-germinativos em sementes de acácia. Revista Brasileira de Sementes 2005; 27(1): 78-85. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222005000100010.

Tedesco SB, Stefanello MO, Schifino-Wittmann MT, Battistin A, Dall’Agnol M. Superação da dormência em sementes de espécies de Adesmia D.C. (Leguminosae). Revista Brasileira de Agrociência 2001; 7(2): 89-92.

Torres SB, Santos SSB. Superação de dormência em sementes de Acacia senegal (L.) Willd. e Parkisonia aculeata L. Revista Brasileira de Sementes 1994; 16(1): 54-57. http://dx.doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v16n1p54-57.

Walters C. Understanding the mechanisms and kinetics of seed aging. Seed Science Research 1998; 8(2): 223-244. http://dx.doi.org/10.1017/S096025850000413X.

5a70880d0e8825b53c5dfcc3 floram Articles
Links & Downloads

FLORAM

Share this page
Page Sections