Floresta e Ambiente
https://floram.org/article/doi/10.1590/2179-8087.027713
Floresta e Ambiente
Original Article Forest Management

Estrutura Diamétrica e Arranjo Espacial das Espécies Mais Abundantes de um Fragmento de Floresta Estacional Semidecidual em Botucatu, SP

Diameter Structure and Spatial Arrangement of the Most Abundant Species in a Seasonal Semideciduous Forest Fragment in Botucatu, Southeastern Brazil

Jorge, Luiz Alberto B.; Millani, Thais Maria; Fonseca, Renata Cristina Batista; Arruda, Aparecido Agostinho

Downloads: 0
Views: 488

Resumo

Foi feito um estudo sobre a estrutura diamétrica e o arranjo espacial das espécies mais abundantes que ocorrem em um dos cinco fragmentos florestais da Fazenda Experimental Edgardia (1.200 ha), município de Botucatu, SP. A área do remanescente é de 56 ha. Inventariaram-se 185 unidades amostrais contíguas de 100 m2, que compuseram uma amostra de 1,85 ha. Levantou-se a composição florística e estrutura horizontal da vegetação do centro do remanescente. Dentre as dez espécies de maior valor de importância, sete apresentaram abundância que permitiu realizar os estudos sobre distribuição diamétrica e distribuição espacial. O somatório dos índices de valores de importância (IVI) obtidos para as espécies mais abundantes (185,98) mostrou que elas têm uma grande participação na estrutura da vegetação que está se regenerando. Após ajuste das distribuições diamétricas das sete espécies, seis apresentaram um padrão de distribuição na forma de J invertido, refletindo regeneração contínua dos indivíduos dessas espécies. Quatro dessas distribuições foram distinguidas como tipo I (ou distribuição balanceada). As características relacionadas com as distribuições de diâmetros ajustadas auxiliaram na indicação de uma atenuação da perturbação antropogênica. Verificou-se relação direta entre o arranjo espacial e a síndrome de dispersão para Trichilia clausseni e Metrodorea nigra e, dependendo das escalas analisadas, para T. catigua e T. casaretti.

Palavras-chave

comunidades, distribuição diamétrica, estatística espacial, estrutura, florestas, florística, padrão.

Abstract

We evaluated the diameter distribution and spatial arrangement of the most abundant species in one of the five forest fragments occurring on Edgardia Experimental Farm (1,200 ha) in Botucatu, Sao Paulo state, southeastern Brazil (between latitudes 22°47'30''S and 22°50''S and longitudes 48°26'15''W and 48°22'30''W). The fragment area is 56 ha large. We sampled 185 contiguous plots of 100 m2 (1.85 ha), accessing the floristic composition and horizontal structure of the vegetation in the center of the fragment. Among the ten species with the highest importance values, seven presented abundance values which allowed studies on diameter distribution and spatial arrangement. The sum of the importance value indexes (IVI) obtained for the most abundant species (185.98) showed that they presented significant weight in the vegetation structure, indicating its regeneration. After adjusting the diameter distributions of the seven species, six showed an inverted J curve of their distribution pattern, reflecting continuous regeneration of plants of such species. Four of these distributions were distinguished as type I, or balanced distribution. These patterns of diameter distributions indicated attenuation of anthropogenic disturbances. There was a direct relationship between spatial arrangement and dispersal syndrome for Trichilia clausseni and Metrodorea nigra and, depending on the scales analyzed, for T. catigua and T. casaretti.

Keywords

communities, diameter distribution, spatial statistics, structure, forests, floristic, pattern.

References

Baddeley A. Analysing spatial point patterns in R. Perth: CSIRO:University of Western Australia; 2010. Workshop Notes, Version 4.1.

Bernasol WP, Lima-Ribeiro MS. Estrutura espacial e diamétrica de espécies arbóreas e seus condicionantes em um fragmento de cerrado sentido estrito no sudoeste goiano. Hoehnea 2010; 37(2): 181-198. http://dx.doi.org/10.1590/S2236-89062010000200001.

Carvalho WA, Panoso LA, Moraes MH. Levantamento semidetalhado dos solos da fazenda experimental Edgardia – município de Botucatu. Botucatu: Faculdade de Ciências Agronômicas – UNESP; 1991. Boletim Científico vol. 2. 467 p.

Cruz-Rot M. Introdución al análisis de datos mapeados o algunas de las (muchas) cosas que puedo hacer si tengo coordenadas. Ecosistemas 2006; 15(3): 19-39.

Cunha AR, Martins D. Classificação climática para os municipios de Botucatu e São Manuel, SP. Irriga 2009; 14(1): 1-11.

Dalmaso CA, Inoue MT, Oliveira PC Fo, Marcelino VR, Pottker GS. Análise dos padrões espaciais de Ocotea odorifera (Vell.) Rohwer na Floresta Nacional de Irati (PR). Revista Ambiência 2012; 8(Especial): 559-570. http://dx.doi.org/10.5777/ambiencia.2012.04.10.

Dalmaso CA. Padrões de interações espaciais na regeneração de Ocotea odorifera (Vell.) Rohwer na Floresta Nacional de Irati, PR [dissertação]. Irati: Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais, Universidade Estadual do Centro-Oeste; 2012.

Diggle PJ. Statistical analysis of spatial point patterns. London: Academic Press; 2003.

Figueiredo EO, Cunha RM. Levantamento das árvores com coordenadas apropriadas com GPS de alta sensibilidade. In: Figueiredo EO, Braz EM, D’Oliveira MVN, editores. Manejo de precisão em florestas tropicais: modelo digital de exploração florestal. Rio Branco: Embrapa Acre; 2007.

Fonseca RCB, Fonseca ICB. Utilização de métodos estatísticos multivariados na caracterização do mosaico sucessional em floresta semidecidual. Revista Árvore 2004; 28(3): 351-359. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622004000300005.

Fonseca RCB, Rodrigues RR. Análise estrutural e aspectos do mosaico sucessional de uma floresta semidecídua em Botucatu-SP. Scientia Forestalis 2000; 57: 27-43.

Gondim MJC. Dispersão de sementes de Trichilia spp. (Meliaceae) por aves em um fragmento de mata mesófila semidecídua, Rio Claro, SP, Brasil. Ararajuba 2001; 9(2): 101-112.

Harms KE, Wright SJ, Calderón O, Hernández A, Herre EA. Pervasive density-dependent recruitment enhances seedling diversity in a tropical forest. Nature 2000; 404(6777): 493-495. http://dx.doi.org/10.1038/35006630. PMid:10761916.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Manual técnico da vegetação brasileira. 2 ed. Rio de Janeiro: IBGE; 2012. 271 p.

Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro – JBRJ. Lista de espécies da flora do Brasil [online]. [acesso 2014 ago. 27]. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br

Jordano P, Godoy JA. Frugivore-generated seed shadows: a landscape view of demographic and genetic effects. In: Levey DJ, Silva WR, Galleti M, editores. Seed dispersal and frugivory: ecology, evolution and conservation. New York: CABI Publishing; 2002. http://dx.doi.org/10.1079/9780851995250.0305.

Jorge LAB, Fonseca RCB, Arruda AA. Secondary succession dynamics of a tropical forest fragment in southeastern Brazil. In: Anais do 5° Simpósio Latino-Americano Sobre Manejo Florestal; 2011; Santa Maria. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria; 2011. p. 70-81.

Jorge LAB. Soil erosion fragility assessment using an impact model and geographic information system. Scientia Agricola 2009; 66(5): 658-666. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-90162009000500011.

Loetsch F, Zohrer F, Haller KE. Forest inventory. München: BLV Verlagsgesellchaft; 1973. 469 p. vol. 2

Machado SA, Figueiredo A Fo. Dendrometria. Curitiba; 2003. 309 p.

Müeller-Dombois D, Ellemberg H. Aims and methods of vegetation ecology. New York: John Wiley & Sons; 1974. 547 p.

Ritz C, Streibig JC. Nonlinear regression with R. New York: Springer; 2008. 144 p.

Silva SR Fo, Engel VL. Estrutura de um fragmento de mata mesófila semidecídua secundária tardia e implicações para o manejo. In: Anais do 7° Congresso Florestal Brasileiro; 1993; Curitiba. Curitiba: SBS-SBEF; 1993. vol. 1. p. 343-346.

Silvestre R, Watzlawick LF, Koehler HS, Mendonça GV, Valério AF. Florística, estrutura e distribuição espacial de espécies ocorrentes em um remanescente de floresta ombrófila mista, Castro – PR. Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal 2012; 19(1): 69-86.

Viana VM, Pinheiro LAFV. Conservação da biodiversidade em fragmentos florestais. Série Técnica IPEF 1998; 12(32): 25-42.

Watzlawick LF, Gardin E, Longhi SJ. Florística, estrutura e distribuição espacial em fragmento de floresta ombrófila mista em São Francisco de Paula (RS). Revista Ambiência 2013; 9(1): 113-128. http://dx.doi.org/10.5777/ambiencia.2013.01.08.
588e228ee710ab87018b4816 floram Articles
Links & Downloads

FLORAM

Share this page
Page Sections