Floresta e Ambiente
http://floram.org/article/doi/10.1590/2179-8087.118214
Floresta e Ambiente
Original Article Forest Management

Influência do Primeiro Desbaste na Morfometria de Tectona grandis L.f. em Roraima

Influence of First Thinning in Morphometry of Tectona grandis L.f. on Roraima

Dionisio, Luiz Fernandes Silva; Araújo, Hilton Xavier de; Correia, Ruy Guilherme; Martins, Walmer Bruno Rocha; Costa, Jéssica Saraiva da; Maciel, Francisco Clemilto da Silva

Resumo

Objetivou-se com este trabalho avaliar o efeito do primeiro desbaste sobre a morfometria de um plantio de Tectona grandis L.f. (teca). O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, com quatro tratamentos e três repetições sendo: T1 = testemunha (sem desbaste), T2, T3 e T4 = remoção da área basal de 20%, 30% e 40% respectivamente. As variáveis morfométricas avaliadas foram: proporção de copa (PC), índice de abrangência (IA), grau de esbeltez (GE), índice de saliência (IS), formal de copa (FC) e comprimento de copa (CC). A aplicação de desbastes em teca influenciou significativamente em todas as variáveis morfométricas avaliadas, com exceção de proporção de copa (PC) e índice de saliência (IS). As intensidades de desbastes (20%, 30% e 40%) não apresentaram diferença significativa para as variáveis: altura comercial do fuste (HF), comprimento de copa (CC), diâmetro de copa (DC), proporção de copa (PC) e forma de copa (FC) da Tectona grandis até o quarto ano pós-desbaste.

Palavras-chave

Amazônia, teca, manejo florestal

Abstract

The aim of this study was to evaluate the effect of first thinning on the morphometry of trees in a forest plantation of Tectona grandis Lf (teak). The experimental design used was randomized block with four treatments and three replications were: T1 = control treatment (no thinning), T2, T3 end T4 with the removal of basal area the 20, 30 and 40% respectively. The evaluated morphometric variables were: crown proportion (PC), coverage index (AI), slenderness degree (GE), salience index (IS), crown form (FC) and crown length (CC). The application of thinning in teak, significantly influenced in all morphometric variables analyzed, except for the proportion of room (PC) and the projection index (SI). The thinning intensities (20%, 30% and 40%) presented no significant differences for variables: commercial bole height (HF), crown length (CL), crown diameter (DC), crown proportion (PC) and crown form (FC) of teak to the fourth post-thinning year.

Keywords

Amazon, teak, management forestry

References

Ângelo H, Silva VSM, Souza NA, Gatto AC. Aspectos financeiros da produção de teca no estado de Mato Grosso. Floresta 2009; 39(1): 23-32. http://dx.doi.org/10.5380/rf.v39i1.13722.

Berger R, Schneider PR, Finger CAG, Haselein CR. Efeito do espaçamento e da adubação no crescimento de um clone de Eucalyptus saligna Smith. Ciência Florestal 2002; 2(2): 75-87. http://dx.doi.org/10.5902/198050981682.

Caldeira SF, Oliveira DLC. Desbaste seletivo em povoamentos de Tectona grandis com diferentes idades. Acta Amazonica 2008; 38(2): 223-228. http://dx.doi.org/10.1590/S0044-59672008000200005.

Condé TM, Lima MLM, Lima EM No, Tonini H. Morfometria de quatro espécies florestais em sistemas agroflorestais no município de Porto Velho, Rondônia. Revista Agro@mbiente 2013; 7(1): 18-27.

Condé TM, Lima MLM, Lima Neto EM, Tonini H. Equações morfométricas das espécies Andiroba (Carapa guianensis Aubl) e Castanha-do-Brasil (Bertholletia excelsa H.B.K.) em sistemas agroflorestais no município de Porto Velho, Rondônia. Revista Eletrônica Ambiente Gestão e Desenvolvimento 2014; 4:1-21.

Costa KL. Crescimento de Tectona grandis (teca) em sistema silvicultural de talhadia composta em Minas Gerais [dissertação]. Lavras: Universidade Federal de Lavras; 2011.

Cunha TA, Finger CAG. Competição assimétrica e o incremento diamétrico de árvores individuais de Cedrela odorata L. na Amazônia ocidental. Acta Amazonica 2013; 43(1): 9-18. http://dx.doi.org/10.1590/S0044-59672013000100002.

Damásio M, Silva FR, Santos AFA, Rondon RM No. Desbaste seletivo em um povoamento de Tectona grandis implantado em sistema de integração-lavoura-pecuária-floresta. Biodiversidade 2015; 14(3): 74-83.

Durlo MA, Denardi L. Morfometria de Cabralea canjerana, em mata secundária nativa do Rio Grande do Sul. Ciência Florestal 1998; 8(1): 55-66. http://dx.doi.org/10.5902/19805098351.

Durlo MA, Sutili FJ, Denardi L. Modelagem da copa de Cedrela fissilis Vellozo. Ciência Florestal 2004; 14(2): 79-89. http://dx.doi.org/10.5902/198050981808.

Figueiredo EO. Reflorestamento com teca (Tectona grandis L.F.) no estado do Acre. Rio Branco: Embrapa Acre; 2001. (Documentos; no. 65).

Figueiredo EO, D’Oliveira MVN, Fearnside PM, Papa DA. Modelos para estimativa de volumes de árvores individuais pela morfometria da copa obtido com LIDAR. Cerne 2014; 20(4): 621-628. http://dx.doi.org/10.1590/01047760201420041693.

Figueiredo EO, Oliveira AD, Scolforo JRS. Análise econômica de povoamentos não desbastados de Tectona grandis L.f., na microrregião do rio Acre. Cerne 2005; 11(4): 342-353.

Medeiros RA, Paiva HN, Leite HG, Oliveira SN No, Vendrúscolo DGS, Silva FT. Análise silvicultural e econômica de plantios clonais e seminais de Tectona grandis l.f. em sistema taungya. Revista Árvore 2015; 39(5): 893-903. http://dx.doi.org/10.1590/0100-67622015000500012.

Miranda MC. Caracterização morfológica e avaliação do desenvolvimento inicial de clones de teca (Tectona grandis L.f.) [dissertação]. Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso; 2013.

Motta JP, Oliveira JTS, Paes JB, Alves RC, Dambroz GBV. Resistência natural da madeira de Tectona grandis em ensaio de laboratório. Ciência Rural 2013; 43(8): 1393-1398. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782013005000097.

Mourão M Jr, Xaud MR, Xaud HAM, Moura MA No, Arco-Verde MF, Pereira PRVS et al. Precipitação pluviométrica em áreas de transição savana-mata de Roraima: campos experimentais Serra da Prata e Confiança. Boa Vista: Embrapa Roraima; 2003. (Comunicado Técnico; no. 17).

Nogueira GS, Leite HG, Campos JCC, Takizawa FH, Couto L. Avaliação de um modelo de distribuição diamétrica ajustado para povoamentos de Tectona grandis submetidos a desbaste. Revista Árvore 2006; 30(3): 377-387. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622006000300008.

Orellana E, Koehler AB. Relações morfométricas de Ocotea odorífera (Vell.) Rohwer. Revista Acadêmica de Ciências Agrárias e Ambientais 2008; 6(2): 229-237.

Padoin V, Finger CAG. Relações entre as dimensões da copa e a altura das árvores dominantes em povoamentos de Pinus taeda L. Ciência Florestal 2010; 20(1): 95-105. http://dx.doi.org/10.5902/198050981764.

Pelissari AL, Caldeira SF, Drecher R. Desenvolvimento quantitativo e qualitativo de Tectona grandis L.f. em Mato Grosso. Floresta e Ambiente 2013; 20(3): 371-383.

Pérez D, Kanninen M. Stand growth scenarios for Tectona grandis plantations in Costa Rica. Forest Ecology and Management 2005; 210(1): 425-441. http://dx.doi.org/10.1016/j.foreco.2005.02.037.

Roman M, Bressan DA, Durlo MA. Variáveis morfométricas e relações interdimensionais para Cordia trichotoma (Vell) Arráb. ex Steud. Ciência Florestal 2009; 19(4): 473-480. http://dx.doi.org/10.5902/19805098901.

Sanquetta CR, Arce JE, Mello AA, Silva EQ, Barth N Fo, Matoski SLS. Produção de Madeira livre de nós em povoamentos de Pinus taeda em função da densidade de plantio. Cerne 2003; 9(2): 129-140.

Sanquetta CR, Behling A, Corte APD, Fernandes AC, Beckert SM, Simon AA. Equações para estimativa do diâmetro de copa para Acácia-negra. Floresta e Ambiente 2014; 21(2): 192-205. http://dx.doi.org/10.4322/floram.2014.018.

Santos AT, Mattos PP, Braz EM, Rosot NC. Determinação da época de desbaste pela análise dendrocronológica e morfométrica de Ocotea porosa (nees & mart.) Barroso em povoamento não manejado. Ciência Florestal 2015; 25(3): 699-709. http://dx.doi.org/10.5902/1980509819620.

Santos HG, Jacomine PKT, Anjos LHC, Oliveira VA, Oliveira JB, Coelho MR et al., editores. Sistema brasileiro de classificação de solos. 2. ed. Rio de Janeiro: Embrapa Solos; 2006.

Santos MJC, Santos FR, Ribeiro MJB. Parâmetros interdimensionais de clones de eucalipto em sistema silvipastoril na região do semiárido. Cadernos de Agroecologia 2014; 9(4): 1-11.

Schneider PR. Introdução ao manejo florestal. Santa Maria: CEPEF/FATEC; 1993. 348 p.

Schöngart J. Growth-Oriented Logging (GOL): a new concept towards sustainable forest management in Central Amazonian várzea floodplains. Forest Ecology and Management 2008; 256(1): 46-58. http://dx.doi.org/10.1016/j.foreco.2008.03.037.

Schuhli GS, Paludzyszyn E Fo. O cenário nacional da silvicultura de teca (Tectona grandis L. f.) e perspectivas de melhoramento. Pesquisa Florestal Brasileira 2010; 30(63): 217-230. http://dx.doi.org/10.4336/2010.pfb.30.63.217.

Silveira BD, Floriano EP, Nakajima NY, Hosokawa RT, Rosot NC, Gracioli CR. Relação da morfometria e competição com o crescimento de Trichilia claussenii em um fragmento de floresta semidecidual, RS. Floresta 2015; 45(2): 373-382. http://dx.doi.org/10.5380/rf.v45i2.35164.

Tonini H, Arco-Verde MF. Morfologia da copa para avaliar o espaço vital de quatro espécies nativas da Amazônia. Pesquisa Agropecuária Brasileira 2005; 40(7): 633-638. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2005000700002.

Tonini H, Costa MCG, Schwengber LAM. Crescimento da teca (Tectona grandis) em reflorestamento na Amazônia setentrional. Pesquisa Florestal Brasileira 2009; 59: 5-14.

Tonini H, Kaminski PE, Costa P. Relação da produção de sementes de castanha-do-brasil com características morfométricas da copa e índices de competição. Pesquisa Agropecuária Brasileira 2008; 43(11): 1509-1516. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2008001100009.

Weber VP, Finger CAG, Fleig FD, Souza CAM, Munareto FF, Silva LTM. Diretrizes para desbaste de Pinus taeda L. Em função da altura dominante. Ciência Florestal 2013; 23(1): 193-201. http://dx.doi.org/10.5902/198050988453.

Wink C, Monteiro JS, Reinert DJ, Liberalesso E. Parâmetros da copa e a sua relação om diâmetro e altura das árvores de eucalipto em diferentes idades. Scientia Forestalis 2012; 40(93): 57-67.
 

5a735fc80e88255d188b4568 floram Articles
Links & Downloads

FLORAM

Share this page
Page Sections