Floresta e Ambiente
http://floram.org/article/doi/10.1590/2179-8087.059416
Floresta e Ambiente
Original Article Silviculture

Field Performance of Eucalyptus Hybrids at Planalto da Conquista, Bahia, Brazil

Jamily da Silva Fernandes; Valdemiro Conceição Júnior; Patrícia Anjos Bittencourt Barreto-Garcia

Abstract

ABSTRACT: The present study was carried out with the objective of evaluating the field performance of six Eucalyptus clones, using seed-produced Eucalyptus urophylla as a reference. The experiment was conducted in the city of Vitória da Conquista, Bahia, Brazil. The plants were monitored monthly with diameter at ground level and height measurements taken up to nine months after planting. Diameter at breast height (DBH) and height measurements, as well as the biomass of all tree components and stem volumes were obtained 12 months after planting. VM058 and I-144 were the only clones that showed survival rates below 70%. Nevertheless, up to the age of 12 months and similar to the seed-produced E. urophylla , the VM058 clone was the genetic material that presented the most satisfactory production given the edaphoclimatic conditions of Vitória da Conquista, Bahia, Brazil.

Keywords

biomass, productive potential, volume

References

Assis TF, Bauer JFS, Tafarel G. Sintetização de híbridos de Eucalyptus por cruzamentos controlados. Ciência Florestal 1993; 3(1): 161-170. http://dx.doi.org/10.5902/19805098291.

Azevedo LPA, Costa RB, Martinez DT, Tsukamoto AA Fo, Brondani GE, Baretta MC et al. Seleção genética em progênies de Eucalyptus camaldulensis em área de cerrado matogrossense. Ciência Rural 2015; 45(11): 2001-2006. http://dx.doi.org/10.1590/0103-8478cr20131557.

Castaneda DAF, Paz LC, Ribeiro GT, Santos MJC. Avaliação de crescimento de um plantio experimental com 3 clones de eucalipto (Eucalyptus) em Sergipe. Scientia Plena 2012; 8(4): 1.

Correia ACG, Santana RC, Oliveira MLR, Titon M, Ataíde GM, Leite FP. Volume de substrato e idade: influência no desempenho de mudas clonais de eucalipto após replantio. Cerne 2012; 19(2): 185-191. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-77602013000200002.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos. Manual de métodos de análise de solo. Rio de Janeiro; 1979.

Fernandes ET. Fotossíntese e crescimento inicial de clones de eucalipto sob diferentes regimeshídricos [dissertação]. Vitória da Conquista: Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia; 2012.

Fernandes ET, Cairo PAR, Morais JLC. Crescimento de clones de eucalipto sob deficiência hídrica. Enciclopédia Biosfera 2013; 9(17): 868-875.

Ferreira DF. SISVAR: sistema de análise de variância. Versão 5.3. Lavras: UFLA; 2010.

Figueiredo FAMMA, Carneiro JGA, Penchel RM, Barroso DG, Daher RF. Efeito das variações biométricas de mudas clonais de eucalipto sobre o crescimento no campo. Revista Árvore 2011; 35(1):1-11. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622011000100001.

Frigotto T. Seleção de espécies/procedências e propagação vegetativa de Eucalyptus spp. na região norte de Santa Catarina [dissertação]. Lages: Universidade do Estado de Santa Catarina; 2016.

Furtini, AE No. Eficiência nutricional, cinética deabsorção e frações fosfatadas em Eucalyptus ssp. [tese]. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa; 1994.

Gadelha FHL, Silva JAA, Ferreira RLC, Melo IV, Santos RC, Tavares JA. Produtividade de clones de eucaliptos em diferentes sistemas de manejo para fins energéticos. Pesquisa Florestal Brasileira 2015; 35(83): 263-270. http://dx.doi.org/10.4336/2015.pfb.35.83.827.

Gadelha FHL, Silva JAA, Silva JAA, Ferreira RLC, Ferreira RLC, Melo IV et al. Rendimento volumétrico e energético de clones de híbridos de Eucalyptus spp. no Polo Gesseiro do Araripe-PE. Ciência Florestal 2012; 22(2): 331-341. http://dx.doi.org/10.5902/198050985740.

Indústria Brasileira de Árvores – IBÁ. Relatório anual da IBÁ 2016, ano base 2015. Brasília; 2016.

Leles PSS, Reis GG, Reis NGF, Morais EJ. Relações hídricas e crescimento de árvores de Eucalyptus camaldulensis e Eucalyptus pellita sob diferentes espaçamentos na região de cerrado. Revista Árvore 1998; 22(1): 41-50.

Lima AMN, Neves JCL, Silva IR, Leite FP. Cinética de absorção e eficiência nutricional de K, Ca e Mg em plantas jovens de quatro clones de eucalipto. Revista Brasileira de Ciência do Solo 2005; 29(6): 903-909. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832005000600008.

Lopes ED, Amaral CLF, Novaes AB. Desempenho no campo de mudas de Eucalyptus urophylla, Eucalyptus camaldulensis e Corymbia citriodora produzidas em diferentes recipientes. Floresta 2014; 44(4): 589-596. http://dx.doi.org/10.5380/rf.v44i4.26480.

Macedo RLG, Bezerra RG, Venturin N, Vale RSD, Oliveira TD. Desempenho silvicultural de clones de eucalipto e características agronômicas de milho cultivados em sistema silviagrícola. Revista Árvore 2016; 30(5): 701-709. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622006000500003.

Magalhães GC. Desempenho de clones de eucalipto nas condições edafoclimáticas de Vitória da Conquista - BA [dissertação]. Vitória da Conquista: Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia; 2013.

Magalhães WM, Macedo RLG, Venturin N, Higashikawa EM, Yoshitani M Jr. Desempenho silvicultural de clones e espécies/procedências de Eucalyptus na região noroeste de Minas Gerais. Cerne 2007; 13(4): 368-375.

Mendonça AVR, Carneiro JGA, Barroso DG, Santiago AR, Freitas TAS, Souza JS. Desempenho de quatro de Eucalyptus spp em plantios puros e consorciados com sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth) em cava de extração de argila. Revista Árvore 2008; 32(3): 395-405. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622008000300002.

Pinto SIC, Furtini AE No, Neves JCL, Faquin V, Moretti BS. Eficiência nutricional de clones de eucalipto na fase de mudas cultivados em solução nutritiva. Revista Brasileira de Ciência do Solo 2011; 35(2): 523-533. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832011000200021.

Queiroz MM, Leles PSS, Oliveira SN No, Ferreira MA. Comportamento de materiais genéticos de eucalipto em Paty do Alferes, RJ. Floresta e Ambiente 2009; 16(1): 1-10.

Quiqui EM, Martins SS, Shimizu JY. Avaliação de espécies e procedências de Eucalyptus para o Noroeste do estado do Paraná. Acta Scientiarum 2001; 23(5): 1173-1177.

Sanquetta CRR, Corte APD, Balbinot R, Zilliotto MAB. Proposta metodológica para quantificação e monitoramento do carbono estocado em florestas plantadas. In: Sanquetta CR, Zilliotto MAB. Mercado de carbono: mercado e ciência . Curitiba: UFPR; 2004. p. 120-150.

Santos AFA, Martinez DT, Caldeira SF, Rossi AS, Barbosa J Fo. Desempenho silvicultural de 21 clones do gênero Eucalyptus no sul do estado de Mato Grosso. In: Malinovski JR, Malinovski RA, Malinovski RA, Massetto GC, editores. Anais do 3º Encontro Brasileiro de Silvicultura; 2014; Campinas. Curitiba: EMBRAPA; 2014. 308 p.

Santos HG, Jacomine PKT, Anjos LHC, Oliveira VA, Oliveira JB, Coelho MR. Sistema brasileiro de classificação de solos. 2. ed. Rio de Janeiro: Embrapa Solos; 2006.

Sette CR Jr, Tomazello M Fo, Lousada JL, Laclau JP. Sazonalidade do incremento em diâmetro do tronco de árvores de Eucalyptus grandis pelo uso de dendrômetros. Ciência Florestal 2012; 22(4): 763-775.

Souza GVR, Ferreira LR, Sediyama CS, Silva CM, Tuffi Santos LD, Viana RG. Exsudato radicular de imazapyr aplicado sobre mudas de diferentes clones de eucalipto. Planta Daninha 2006; 24(1): 141-147. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-83582006000100018.

Studart-Guimarães C, Lacorte C, Brasileiro ACM. Transformação genética em espécies florestais. Ciência Florestal, Santa Maria 2003; 13(1): 167-178.

Sturion JA, Bellote AFJ. Implantação de povoamentos florestais com espécies de rápido crescimento. In: Galvão APM. Reflorestamento de propriedades rurais para fins produtivos e ambientais. Brasília: Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologia; 2000. p. 209-219. (vol. 1, no. 1).

Vellini ALTT, Paula NF, Alves PLCA, Pavani LC, Bonine CAV, Scarpinati EA et al. Respostas fisiológicas de diferentes clones de eucalipto sob diferentes regimes de irrigação. Revista Árvore 2008; 32(4): 651-663. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622008000400006.

Vilas Bôas O, Max JCM, Melo ACG. Crescimento comparativo de espécies de Eucalyptus e Corymbia no município de Marília - SP. Revista do Instuto Florestal 2009; 21(1): 63-72.

Xavier A, Silva RL. Evolução da silvicultura clonal de Eucalyptus no Brasil. Agronomia Costarricense 2010; 34(1): 93-98.
 

5ad8a2e90e88254f18ead76e floram Articles
Links & Downloads

FLORAM

Share this page
Page Sections