Floresta e Ambiente
http://floram.org/article/doi/10.1590/2179-8087.012615
Floresta e Ambiente
Original Article Silviculture

Effect of Brachiaria Grass on Vegetative Development of Teak 1

Fausto Antônio Domingos Júnior; Lisias Coelho

Abstract

ABSTRACT: Invasive plants are a limiting factor for the establishment of planted teak (Tectona grandis L.f.) forests, especially because most of them are planted on Urochloa decumbens Stapf degraded pastures. This study evaluated initial teak development applying different control alternatives for U. decumbens . Treatments were no weed control (T1), continuous control of U. decumbens (T2), U. decumbens control after six months of competition (T3), and 60 cm control of U. decumbens around the seedlings (T4). The experiment was established in a pasture, containing U. decumbens, in May 2012. The experimental design was randomized blocks, with four treatments and four replications. Twenty two months after transplanting the seedlings, all treatments in which seedlings had to compete with any weed competition had their growth compromised. Complete control of Urochloa was the best treatment for teak growth.

Keywords

Tectona grandis L.f. , Urochloa decumbens Stapf , weeds, forest

References

Alvarenga RC, Porfírio-da-Silva V, Gontijo Neto MM No, Viana MCM, Vilela L. Sistema Integração Lavoura-pecuária-floresta: condicionamento do solo e intensificação da produção de lavouras . Belo Horizonte: Embrapa Milho e Sorgo; 2010.

Alvares CA, Stape JL, Sentelhas PC, Gonçalves JLM, Sparovek G. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift 2013; 22(6): 711-728. http://dx.doi.org/10.1127/0941-2948/2013/0507.

Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas – ABRAF. Anuário Estatístico 2013. Brasília: ABRAF; 2013.

Balbino LC, Cordeiro LAM, Martínez GB. Contribuições dos Sistemas de Integração Lavoura-pecuária-floresta (iLPF) para uma Agricultura de Baixa Emissão de Carbono. Revista Brasileira de Geografia Física 2011; 4(6): 1163-1175. http://dx.doi.org/10.26848/rbgf.v4i6.232775.

Carvalho MM, Xavier DF, Alvim MJ. Características de algumas leguminosas arbóreas adequadas para a associação com pastagens. Juiz de Fora: Embrapa Gado de Leite; 2001.

Coneglian A. Tecnologia da madeira de teca (Tectona grandis). In: Coelho L, Nascimento ART, Lemes EM, editores. Espécies nobres no cerrado. I – Silvicultura e perspectivas de produção. Uberlândia: Composer; 2014.

Dias-Filho MB. Degradação de pastagens: processos, causas e estratégias de recuperação. 2rd ed. Belém: Embrapa Amazônia Oriental; 2005.

Domingos FA Jr, Coelho L. Controle de plantas infestantes em plantios florestais. In: Coelho L, Nascimento ART, Lemes EM, editores. Espécies nobres no cerrado. I – Silvicultura e perspectivas de produção. Uberlândia: Composer; 2014.

Drescher R, Pelissari AL, Gava FH. Fator de forma artificial para povoamentos jovens de Tectona grandis em Mato Grosso. Pesquisa Florestal Brasileira 2010; 30(63): 191-197. http://dx.doi.org/10.4336/2010.pfb.30.63.191.

Ekeleme F, Akobundu IO, Isichei AO, Chikoye D. Cover crops reduce weed seedbanks in maize-cassava systems in Southwestern Nigeria. Weed Science 2003; 51(1): 774-780. http://dx.doi.org/10.1614/0043-1745(2003)051[0774:CCRWSI]2.0.CO;2.

Fonseca DM, Martuscello JA, Faria DJG. Adubação em gramíneas do gênero Brachiaria: mitos e realidades. In: Anais do III simpósio sobre manejo estratégico das pastagens; 2006; Viçosa. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa; 2006. p. 153-182.

Franke IL, Lunz AMP, Valentim JF, Amaral EF, Miranda EM. Situação atual e potencial dos sistemas silvipastoris no Estado do Acre. In: Carvalho MM, Alvim MJ, Carneiro JC, editores. Sistemas agroflorestais pecuários: opções de sustentabilidade para áreas tropicais e subtropicais. Juiz de Fora: Embrapa Gado de Leite; 2001.

Garcia RG, Matos LB, Lourenço Júnior JB, Nahúm BS, Araújo CV, Santos AX. Variáveis fisiológicas de búfalas leiteiras criadas sob sombreamento em sistemas silvipastoris. Pesquisa Agropecuária Brasileira 2011; 46(10): 1409-1414. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2011001000039.

Indústria Brasileira de Árvores – IBÁ. Relatório Ibá 2015. São Paulo: Pöyry Consultoria em Gestão e Negócios Ltda; 2015.

Locatelly E, Doll JD. Competencia y alelopatis. In: DOLL JD, editor. Manejo y control de malezas en el trópico. Cali: CIAT; 1977.

Nicodemo MLF, Porfírio-Da-Silva VP, Thiago LRLS, Gontijo Neto MM, Laura V. Sistemas Silvipastoris: introdução de árvores na pecuária do Centro-Oeste brasileiro. Campo Grande: Embrapa Gado de Corte; 2004.

Pitelli RA, Marchi SR. Interferência das plantas invasoras nas áreas de reflorestamento. In: Anais do III Seminário Técnico Sobre Plantas Daninhas e o Uso de Herbicidas em Reflorestamento; 1991; Belo Horizonte. Belo Horizonte: SIF; 1991. p. 110-123.

Radosevich S, Holt J, Ghersa C. Weed ecology: implications for management . 2rd ed. New York: Willey; 1997.

Rossi AS, Drescher R, Pelissari AL, Lanssanova LR. Relação hipsométrica e crescimento de Tectona grandis L.f. no município de Monte Dourado, Pará. Scientia Forestalis 2011; 39(91): 301-307.

Santos JB, Procópio SO, Silva AA, Costa LC. Captação e aproveitamento da radiação solar pelas culturas da soja e do feijão e por plantas daninhas. Bragantia 2003; 62(1): 147-153. http://dx.doi.org/10.1590/S0006-87052003000100018.

Silva FASE, Azevedo CAV. Versão do programa computacional Assistat para o sistema operacional Windows. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais 2002; 4(1): 71-78. http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v4n1p71-78.

Silva JRV, Alves PLC, Toledo REB. Weed control strip influences the initial growth of Eucalyptus grandis. Acta Scientiarum. Agronomy 2012; 34(1): 29-35. http://dx.doi.org/10.4025/actasciagron.v34i1.12252.

Tarouco CP, Agostinetto D, Panozzo LE, Santos LS, Vignolo GK, Ramos LOO. Períodos de interferência de plantas daninhas na fase inicial de crescimento do eucalipto. Pesquisa Agropecuária Brasileira 2009; 44(9): 1131-1137. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2009000900010.

Tatagiba F. Áreas degradadas do Brasil equivalem a duas Franças, diz Ministério do Meio Ambiente [online]. Brasília: Correio do Brasil; 2012 [cited 2012 jul. 12]. Available from: http://www.correiodobrasil.com.br/areas-degradadas-do-brasil-equivalem-a-duas-francas-diz-ministerio-do-meio-ambiente/485166

Vieira AH, Martins EP, Pequeno PLL, Locatelli M. Aspectos silviculturais da teca em Rondônia. Porto Velho: Embrapa CPAF – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; 2002.
 

5b60584f0e88250b6b50c2b3 floram Articles
Links & Downloads

FLORAM

Share this page
Page Sections