Floresta e Ambiente
http://floram.org/article/doi/10.1590/2179-8087.002216
Floresta e Ambiente
Original Article Forest Products

Características Dendrométricas, Físicas e Químicas da Myracrodruon urundeuva e da Leucaena leucocephala

Dendrometric, Physical and Chemical Properties Characteristics of Myracrodruon urundeuva and Leucaena leucocephala

Lázaro Lavoisier Honorato da Silva; Elisabeth Oliveira; Leandro Calegari; Marllus Carneiro Pimenta; Maysa Kevia Linhares Dantas

Downloads: 0
Views: 122

Resumo

RESUMO: Com o objetivo de avaliar características dendrométricas, físicas e químicas da Myracrodruon urundeuva e Leucaena leucocephala foi realizada supressão de cinco exemplares de cada espécie. Os parâmetros dendrométricos avaliados foram: DAP, altura, volume. Avaliou-se a densidade básica e foram feitas análises químicas da madeira. O experimento foi arranjado em delineamento inteiramente casualizado (DIC), com valores analisados pelo teste F ao nível de 5%. As espécies M. urundeuva e L. leucocephala apresentaram, respectivamente, média de DAP 10,00 cm; 14,08 cm; altura total 8,20 m; 12,93 m; altura comercial 4,90 m; 10,07 m; volume com casca (C/C) 0,032 m3; 0,104 m3; volume sem casca (S/C) 0,025 m3; 0,095 m3. M. urundeuva apresentou maior densidade básica. O teor de cinzas encontrado para M. urundeuva foi superior. Já os teores de extrativos totais e holocelulose da M. urundeuva e da L. leucocephala foram semelhantes. A L. leucocephala obteve maior teor de lignina total e poder calorífico superior. Portanto, as duas espécies apresentaram boas características físicas, químicas e energéticas.

Palavras-chave

caatinga, madeira, poder calorífico

Abstract

ABSTRACT: To evaluate dendrometric characteristics, physical and chemical properties of Myracrodruon urundeuva and Leucaena leucocephala was done suppression of five samples of each species. The dendrometric parameters evaluated were: DAP; height; volume. It was evaluated basic density and chemical analysis of wood were made. The experiment was arranged in a completely randomized design (DIC), with values analyzed by the test “F” at 5%. The species had a mean DAP 10.00; 14.08 cm; overall height 8.20; 12.93 m; commercial height 4.90; 10.07 m; volume shelled (C/C) 0.032; 0.104 m3; volume not shelled (S/C) 0.025; 0.095 m3 M. urundeuva and L. leucocephala, respectively. The M. urundeuva has a higher basic density. The ash content found in M. urundeuva was superior. Now, the total extractive content and holocelulose of M. urundeuva and L. leucocephala were similar. The L. leucocephala got higher total lignin content and higher calorific power. Therefore, the two species have good physical, chemical and energy characteristics.
 

Keywords

caatinga, wood, calorific value

References

Almeida AMC. Avaliação anatômica, físico-química e energética da madeira das espécies Piptadenia stipulacea (Benth.) Ducke e Amburana cearensis (Allemão) A. C. Smith de ocorrência no semiárido nordestino brasileiro [dissertação]. Patos: Programa de Pós-graduação em Ciências Florestais, Universidade Federal de Campina Grande; 2010.

Associação Brasileira de Celulose e Papel – BRACELPA. M-3/69: preparação de madeira livre de extrativos. São Paulo; 1974a.

Associação Brasileira de Celulose e Papel – BRACELPA. M-11/77: teor de cinzas ou minerais. São Paulo; 1974b.

Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR-8633: carvão vegetal: determinação do poder calorífico. São Paulo; 1984.

Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR-11941: madeira: determinação da densidade básica. São Paulo; 2003.

Batista DC, Klitzke RJ, Santos CVT. Densidade básica e retratibilidade da madeira de clones de três espécies de Eucalyptus.Ciência Florestal 2010; 20(4): 665-674. http://dx.doi.org/10.5902/198050982425.

Brasil. Ministério de Minas e Energia. . Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea: diagnóstico do município de Uiraúna, estado da ParaíbaRecife; 2005a.

Brasil. Ministério de Minas e Energia. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea: diagnóstico do município de Patos, estado da Paraíba. Recife; 2005b.

Carvalho PER. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica; Colombo: Embrapa Florestas; 2003.

Drumond MA, Ribaski J. Leucena leguminosa de uso múltiplo para o semiárido brasileiro. Comunicado Técnico. (Leucaena leucocephala):Embrapa Semiárido 2010; 142: 1-8.

Foelkel CEB, Brasil MAM, Barrichelo LEG. Métodos para determinação da densidade básica de cavacos para coníferas e folhosas. Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais 1971; 2/3: 65-74.

Fonsêca CMB. Estudo comparativo do potencial energético do Juazeiro (Ziziphus joazeiro Martius) e da Algarobeira (Prosopis juliflora (Sw.) DC.) na produção de carvão no semiárido paraibano [dissertação]. Patos: Programa de Pós-graduação em Ciências Florestais, Universidade Federal de Campina Grande; 2011.

Franco AA, Souto SM. Leucaena leucocephala: uma leguminosa com múltiplas utilidades para os trópicos. Comunicado Técnico 1986; 2: 1-7.

Goldschimidt O. Ultraviolet spectra. In: Sarkanen KV, Ludwwig CH, editors. Lignins. New York: Wiley Interscience; 1971. p. 241-266.

Gomide JL, Demuner BJ. Determinação do teor de lignina em material lenhoso: método Klason modificado. O Papel 1986; 47(8): 36-38.

Maia GN. Caatinga: árvores e arbustos e suas utilidades. São Paulo: D&Z; 2004.

Martins JG, Vieira A. Materiais de construção: derivados de madeira. 2004.

Medeiros PN No, Oliveira E, Calegari L, Almeida AMC, Pimenta AS, Carneiro ACO. Características físico-químicas e energéticas de duas espécies de ocorrência no semiárido brasileiro. Ciência Florestal 2012; 22(3): 579-588.

Oliveira AC, Carneiro ACO, Vital BR, Almeida W, Pereira BLC, Cardoso MT. Parâmetros de qualidade da madeira e do carvão vegetal de F. Muell. Eucalyptus pellitaScientia Forestalis 2010; 38(87): 431-439.

Oliveira E. Características anatômicas, químicas e térmicas da madeira de três espécies de maior ocorrência no semiárido nordestino [tese]. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa; 2003.

Pereira DD, Pereira FC. Curso de capacitação em manejo ambiental integrado: Ecologia das caatingas. Patos: SOS Sertão; 2012.

Santos RC, Carneiro ACO, Pimenta AS, Castro RVO, Marinho IV, Trugilho PF et al. Potencial energético da madeira de espécies oriundas de plano de manejo florestal no Estado do Rio Grande do Norte. Ciência Florestal 2013; 23(2): 491-502. http://dx.doi.org/10.5902/198050989293.

Silva FAZ, Azevedo CAV. Principal components analysis in the software assistat-statistical attendance. In: Proceedings of the 7th World Congress on Computers in Agriculture; 2013; Reno. Reno: American Society of Agricultural and Biological Engineers; 2013.

Silva JAA, Paula F No. Princípios básicos de dendrometria. Recife: Universidade Federal Rural de Pernambuco; 1979.

Technical Association of the Pulp and Paper Industry – TAPPI. T-257 om- 92: sampling and preparing wood for analysis. Atlanta; 1992a.

Technical Association of the Pulp and Paper Industry – TAPPI. T-264 om-88: preparation of wood for chemical analysis. Atlanta; 1992b.

Vale AT, Dias IS, Santana MAE. Relações entre propriedades químicas, físicas e energéticas da madeira de cinco espécies de Cerrado. Ciência Florestal 2010; 20(1): 137-145. http://dx.doi.org/10.5902/198050981767.

Velloso AL, Sampaio EVSB, Sampaio FGC. Ecorregiões propostas para o Bioma Caatinga. São Paulo: The Nature Conservancy; 2002.
 

58ff583c0e8825d76aabdcf2 floram Articles
Links & Downloads

FLORAM

Share this page
Page Sections